sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Documentário e ciclo de filmes de Brian De Palma em cartaz






A partir do dia 8 de dezembro, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) lança com exclusividade em Porto Alegre o documentário De Palma, dirigido por Noah Baumbach e Jake Paltrow. O filme promove uma reflexão sobre a vida de um dos cineastas mais talentosos, influentes e iconoclastas de todos os tempos. Com projeção digital em alta definição, o valor do ingresso para o filme De Palma é R$ 8,00.

Celebrando a estreia, entre os dias 6 e 18 de dezembro a sala de cinema da Usina do Gasômetro (3º andar) também exibe alguns clássicos do diretor, como Irmãs Diabólicas, Trágica Obsessão, Vestida Para Matar, Dublê de Corpo, além de três obras lançadas em 1960 que influenciaram De Palma, como Psicose, de Alfred Hitchcock, Os Mil Olhos do Dr. Mabuse, de Fritz Lang, e A Tortura do Medo, de Michael Powell. Com apoio das distribuidoras MPLC e Versátil e da locadora E o Vídeo Levou, a programação especial tem projeção digital e entrada franca.

DE PALMA
Dirigido por Noah Baumbach e Jake Paltrow
111 min / Documentário

Seleção Oficial
Venice International Film Festival 2015
New York Film Festival 2015
Festival do Rio
Janela Internacional de Cinema do Recife

​Sinopse: A vida de um dos cineastas mais talentosos, influentes e iconoclastas de todos os tempos. Brian De Palma começou sua carreira na década de 1960 e traz no currículo filmes aclamados como Carrie - A Estranha, Vestida Para Matar, Um Tiro Na Noite, Scarface, Dublê de Corpo, Os Intocáveis, entre outros. Neste inesperado documentário, os diretores Noah Baumbach (de Frances Ha e Mistress America) e Jake Paltrow se envolvem em uma reflexão pessoal e sincera com o próprio De Palma, explorando não só a sua vida e obra, mas também sua abordagem singular à arte do cinema.

CICLO ESPECIAL BRIAN DE PALMA

Psicose
(Psycho, 1960, 109 minutos)
Direção: Alfred Hitchcock
Marion Crane rouba a firma em que trabalha e foge para recomeçar sua vida. Uma tempestade a faz parar num hotel de beira de estrada, onde é recebida pelo estranho, porém afável, Norman Bates, que cuida do lugar. Exibição em blu-ray.

A Tortura do Medo
(Peeping Tom, 1960, 101 minutos)
Direção: Michael Powell
Controversa meditação sobre a violência e voyeurismo, que efetivamente destruiu a carreira de Michael Powell no lançamento, mas, hoje uma obra-prima indiscutível. Karl H. Boehm interpreta Mark, um fotógrafo obcecado em capturar o medo no rosto das pessoas. Para isso, comete crimes e filma suas vítimas. Exibição em DVD.

Os Mil Olhos do Dr. Mabuse
(Die 1000 Augen des Dr. Mabuse, 1960, 73 minutos)
Direção: Fritz Lang
Mabuse regressa para destruir o mundo de vez. Através de uma rede de televisão, Mabuse vigia os clientes de um hotel luxuoso com o objetivo maléfico de roubá-los e matá-los. O milionário Trevors e a Interpol se unem então para capturá-lo. Último filme de Fritz Lang e também da série Dr. Mabuse. Exibição em DVD.

Irmãs Diabólicas
(Sisters, 1973, 92 minutos)
Direção: Brian De Palma
Neste suspense perturbador Margot Kidder é Danielle, uma linda modelo que esconde um segredo terrível. Quando a repórter policial (Jennifer Salt) testemunha um brutal assassinato no apartamento vizinho, envolve-se numa trama que irá arrastá-la para um pesadelo inimaginável. Exibição em DVD.





Trágica Obsessão
(Obsession, 1976, 100 minutos)
Direção: Brian De Palma
Michael Courtland é um importante homem de negócios em New Orleans. Mas sua feliz rotina familiar é interrompida quando a mulher e a filha são sequestradas e tragicamente mortas durante o resgate. Muitos anos depois, o empresário está na Itália a negócios quando conhece e se apaixona por uma mulher que guarda incrível semelhança com sua falecida esposa. Exibição em DVD.

Vestida Pata Matar
(Dressed to Kill, 1980, 105 minutos)
Direção: Brian De Palma
Um terapeuta de Manhattan, o Dr. Robert Elliott, enfrenta o momento mais aterrorizante de sua vida, quando um assasino psicopata começa a atacar as mulheres de sua vida - usando uma navalha roubada de seu escritório. Exibição digital.

Dublê de Corpo
(Body Doublé, 1984, 115 minutos)
Direção: Brian De Palma
Jake Scully (Craig Wasson), um ator desempregado, é convidado a tomar conta de um apartamento super-luxuoso. Como bônus, Jake pode ter uma privilegiada visão de telescópio do quarto de Gloria Revelle (Deborah Shelton), que realiza excitantes stripteases. Quando Jake descobre outro homem também observando Gloria, ele inicia uma obsessiva vigilância da garota. Logo um terrível crime o leva ao mundo dos filmes pornôs, onde conhece a sexy Holly Body (Melanie Griffith), que é a chave para o crime. Exibição digital.

Olhos de Serpente
(Snake Eyes, 1998, 98 minutos)
Direção: Brian De Palma
Durante uma importante luta do campeonato de boxe, um político é assassinado. Na platéia, um policial (Nicolas Cage) começa uma investigação ao perceber a movimentação de alguns suspeitos. Exibição digital.

GRADE DE HORÁRIO
06 a 18 de dezembro de 2016

06 de dezembro (terça)
15h – Irmãs Diabólicas
17h – Psicose
19h – Trágica Obsessão

07 de dezembro (quarta)
15h – Os Mil Olhos do Dr. Mabuse
17h – Olhos de Serpente
19h30 – Sessão especial – Time Will Burn

08 de dezembro (quinta)
15h – De Palma
17h – Dublê de Corpo
19h – De Palma

09 de dezembro (sexta)
15h – De Palma
17h – Vestida Para Matar
19h – De Palma

10 de dezembro (sábado)
15h – De Palma
17h – De Palma
19h – Sessão Especial do filme Eles Vieram e Roubaram Sua Alma, de Daniel de Bem 

11 de dezembro (domingo)
15h – De Palma
17h – De Palma
19h – A Vingança dos Filmes B- Sessão Shoot or Die 2: Venatio + O Diabo no Armário + Rancor + A Incrível História do Gorila + O Presente de Camila + A Noiva do Coelhinho + A Noite Mais Longa da Minha Vida. Total: 94 minutos. Após a sessão debate com os realizadores.

13 de dezembro (terça)
15h – Trágica Obsessão
17h – De Palma
19h – De Palma

14 de dezembro (quarta)
15h – Vestida Para Matar
17h – De Palma
19h – De Palma

15 de dezembro (quinta)
15h – Olhos de Serpente
17h – De Palma
19h – De Palma

16 de dezembro (sexta)
15h – De Palma
17h – De Palma
20h – Projeto Raros – (aguarde divulgação)

17 de dezembro (sábado)
15h – De Palma
17h – De Palma
19h – A Vingança dos Filmes B- Alvorada Z

18 de dezembro (domingo)
15h – A Tortura do Medo
17h – De Palma
19h – De Palma

Projeto Raros apresenta Um Homem Tem de Ser Morto de Davide Quintans




Na sexta-feira, 16 de dezembro, às 20h, o Projeto Raros da Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) apresenta o filme Um Homem Tem de Ser Morto, de Davide Quintans (1973, 98 minutos). Após a projeção, acontece um debate com o cineasta Davi de Oliveira Pinheiro. Com projeção em DVD, a sessão tem entrada franca. 

SINOPSE: “Só existem duas maneiras de lutar por um ideal, matar ou morrer por ele!”. Hasting, o homem de confiança de Simon, presidente da Organização, candidata-se às eleições por sentir que o regime não tem condições de sobrevivência. Sem apoio do povo, Simon se elege fraudulentamente. Hasting, perseguido, é obrigado a exilar-se. Do exílio, através de várias tentativas armadas, tenta recuperar a posição que ganhou legitimamente.

Fugindo da Ditadura de Salazar em Portugal, Davide Quintans chegou ao Rio Grande do Sul no início dos anos 1970. Idealizou uma ficção política inspirada num caso real português, o assassinato de Humberto Delgado, “o General sem Medo”. Um Homem Tem de Ser Morto foi a primeira produção gaúcha selecionada para o Festival de Gramado, em 1974. Censurado, acabou lançado apenas nos anos 1980.  


PROJETO RAROS
16/12 – 20h
UM HOMEM TEM DE SER MORTO
(1973, 98 minutos)
Direção: Davide Quintans
Elenco: Del Rey, Geraldo Bernhardt, Suzana Hoeper, Ricardo Munhoz, Loreni Machado, Pedro Rocha, Alventino Neves, Luiz Carlos Carvalho, Jaime de Bastide, Ruy Ribeiro, Zeno

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Projeto Academia das Musas estuda obra de Marguerite Duras



Neste sábado, 10 de dezembro, às 10h30, na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar), o Projeto Academia das Musas debate a obra de Marguerite Duras a partir de um de seus filmes mais célebres, India Song (1975). Entrada franca.

O grupo Academia das Musas pesquisa o cinema realizado por mulheres em diferentes épocas, contextos e países.


MARGUERITE DURAS
Texto da pesquisadora Carla Oliveira

Marguerite Duras (1914-1996) foi uma das escritoras e intelectuais mais influentes do século XX. Seu livro O Amante (adaptado ao cinema por Jean-Jacques Annaud) foi agraciado com o Goncourt, o importante prêmio literário da França, de 1984. Além da literatura, dedicou-se ao cinema e ao teatro, e são brilhantes os entrelaçamentos feitos por ela entre estes formatos artísticos, nos quais foi uma inovadora.   
Nascida na Indochina francesa, onde viveu difíceis tempos de pobreza e sofrimento familiar, mudou-se para Paris no início da vida adulta para estudar Matemática, Direito e Ciências Políticas. Foi membro da Resistência durante a Segunda Guerra, filiada ao Partido Comunista Francês e ativa nos movimentos de maio de 68. Todos esses episódios foram refletidos em sua obra, que muitas vezes teve cunho autobiográfico.
Tratando-se de cinema, é frequentemente lembrada pela escrita do roteiro de Hiroshima Mon Amour (1959), clássico de Alain Resnais, pelo qual recebeu indicação ao Oscar de melhor roteiro original. Sua própria obra cinematográfica, contudo, floresceu após maio de 68. Realizou vários filmes ousados e originais, dentre os quais tem destaque: Destruir, Disse Ela (1969), Nathalie Granger(1972), A Mulher do Ganges (1974), India Song (1975), O Caminhão (1977), Agatha e as Leituras Ilimitadas (1981) e As Crianças (1985), seu último filme.
Direcionamos nosso olhar a India Song – texto, teatro, filme –, escrito originalmente em 1972 por encomenda de Peter Hall, diretor do Teatro Nacional de Londres. Em India Song, Marguerite Duras retorna a seus personagens do livro O Vice-Cônsul (1965): a enigmática Anne-Marie Stretter, esposa do Embaixador francês nas Índias, nascida Gualdi – nome que será gritado na Calcutá deserta –, e que já sabemos morta e enterrada no cemitério inglês no início da obra; seus amantes, tão entediados quanto ela no calor e na aparente imobilidade da Índia branca da década de 30 (dentre os quais se destaca o preferido, Michael Richardson, que a segue há anos, desde um inesquecível baile em S. Thala); o Vice-Cônsul da França em Lahore, caído em desgraça depois de um crime (uma noite, atirou de sua varanda sobre os leprosos de Shalimar), e que gritará, em desespero, o nome veneziano de Anne-Marie Stretter, após ter sido repelido por ela; e a mendiga do Ganges, a que está fora dos jardins da Embaixada, que acompanha Anne-Marie Stretter há dez anos, desde o sudeste asiático, perdendo seus filhos no caminho, e que, louca, canta, ri e grita o distante nome de Savannakhet, Laos.
Marguerite Duras, no entanto, disse que India Song jamais teria existido sem a sua obra cinematográfica imediatamente anterior: A Mulher do Ganges (La Femme du Gange, 1974), na qual ela introduz seu propósito de tornar as imagens sonoras e visuais autônomas: “São dois filmes, o filme da imagem e o filme das vozes. Os dois filmes estão ali, em total autonomia. As vozes não são vozesoff na acepção habitual da palavra: não facilitam o desenrolar do filme, ao contrário, elas o entravam, perturbam. Não deveríamos prendê-las ao filme da imagem”. Esta disjunção das imagens sonora e visual é uma das principais características de India Song, que conta em seu elenco com vários de seus parceiros artísticos. Anne-Marie Stretter é interpretada pela deslumbrante Delphine Seyrig, o Vice-Cônsul por Michael Lonsdale, Michael Richardson por Claude Mann. Eles, no entanto, não falam. O grito desesperado do Vice-Cônsul e a voz da mendiga do Ganges são escutados fora do campo da imagem. As vozes que escutamos e que conversam sobre as vidas, os amores, desejos e sobre o desespero dos personagens do filme da imagem são as vozes da própria Marguerite, de Nicole Hiss, de Monique Simonet, de Benoit Jacquot, de Dionys Mascolo, entre outras – são atores do filme das vozes.
O tom de India Song, entretanto, é dado por sua música. A composição original e homônima do argentino Carlos d’Alessio impulsiona o movimento, tantas vezes de dança, dos personagens. Ao som de seus acordes, a câmera passeia lentamente pelos objetos que compõem o ambiente doméstico dos que detêm o poder na Índia colonial: espelhos, tecidos, joias, um piano, mesas com vasos de flores, porta-retratos, cinzeiros onde ainda ardem cigarros, cálices, abajures. Já o canto da mendiga do Ganges, à distância, associado ao ruído dos animais e do Ganges, nos lembra de paisagens distantes – Savannakhet, Mandalay, Bangkok, o Mekong –, da luz das monções, mas também do odor da lepra, da fome, da miséria existentes além da mansão da Embaixada. Uma variação de Beethoven do tema de Diabelli marcará uma inesquecível cena que mostra a imobilidade (o tédio, o calor, o sofrimento) de Anne-Marie Stretter deitada junto a seus amantes, assinalando a proximidade de sua morte sob os ecos dos acontecimentos que levariam à Segunda Guerra e à queda do Império Colonial.

As imagens, as vozes autônomas, a trilha sonora de India Song formam uma composição singular. O auge, talvez, da sofisticação de Marguerite Duras.

Exibição especial de Eles Vieram e Roubaram Sua Alma



No sábado, 10 de dezembro, às 19h, acontece na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) uma sessão especial do filme Eles Vieram e Roubaram Sua Alma, primeiro longa-metragem de Daniel de Bem, inédito em Porto Alegre após ter sido exibido com destaque no 5º Olhar de Cinema e no 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Após a projeção, acontece um debate com o diretor. Entrada franca.

ELES VIERAM E ROUBARAM SUA ALMA
2016
Duração: 77 minutos

Sinopse: Com uma velha câmera VHS e a ajuda de um amigo, Mateus obsessivamente realiza um filme caseiro. Aos vinte e poucos anos e vivendo em um subúrbio industrial, ele tenta encontrar alguma ligação entre as relações falidas de sua vida e o tema de seu filme: um homem se desfazendo.





*Prêmio de Contribuição Artística e Prêmio Especial do Júri no 5º Olhar de Cinema – Curitiba Int’l Film Festival
*Seleção 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Mostra Cinema Agora!

Elenco: Filipe Rossato Hiozer da Silva Renato Paredes Fernanda Feltes Michele Dallas Cris Eifler Daniel de Bem Augusto Nunes Isadora Lipp Marcelo Paz Gregore Joninhas Ivan Lemos Roberta Bazzo

Direção: Daniel de Bem
Co-direção: Daiane Marcon
Roteiro: Daiane Marcon e Daniel de Bem
Produção: Filmes do Deserto / Sofá Verde Filmes
Produção Executiva: Alice Castiel, Daiane Marcon, Daniel de Bem e Lucas Cassales
Coordenação de finalização: Alice Castiel e Lucas Cassales
DIreção de fotografia: Daniel de Bem e Filipe Rossato
Montagem: Daniel de Bem e Germano de Oliveira
Desenho de Som: Tiago Bello
Edição de efeitos sonoros: Marcos Lopes
Foley: Sergio Kalil e Ivan Lemos
Estúdio de edição e mixagem de som: Gogó Conteúdo Sonoro
Colorimetria: Daiane Marcon
Material Gráfico: Andre Medeiros
Arte do Pôster: Gabriel Pessoto
Assistência de câmera adicional: Henrique Schaefer
Assistência de produção adicional: Laura Kleinpaul
Tradução para o inglês: Felipe Guarnieri
Tradução para o espanhol: Eleonora Loner

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Exibição especial de Time Will Burn




Na quarta-feira, 7 de dezembro, às 19h30, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) exibe o documentário Time Will Burn (2016, 80 minutos), de Marko Panayotis e Otavio Sousa, sobre a cena de bandas underground brasileiras dos anos 1990. Após a sessão, acontece um debate com os músicos Daniel Villaverde e Gustavo Mini, mediado pelo pesquisador Jamer G. Mello.  Entrada franca.

TIME WILL BURN


Um importante capítulo da história do rock nacional finalmente será lembrado através de um filme. O documentário “Time Will Burn”, de Marko Panayotis e Otavio Sousa, registra a cena de bandas que surgiu no final da década de 1980 e durou até a metade da década seguinte, exatamente entre o boom do Br-Rock (Titãs, Os Paralamas do Sucesso, Ultraje a Rigor, entre outras) e o boom de Raimundos e outras bandas na segunda metade dos anos 90.

No período entre esses dois fenômenos, um grupo de bandas que cantava em inglês e fazia um som totalmente diferente deu o seu recado e fez muito barulho, influenciado principalmente pelo rock que vinha da Inglaterra e dos Estados Unidos.

Foi nesse contexto que surgiu em Santo André o Pin Ups. Com o seu disco de estreia, Time Will Burn, de 1989, o grupo escancarou as portas pra que outros grupos surgissem, como os também fundamentais Killing Chainsaw, Mickey Junkies e Second Come, entre outros.

Com eles, o Brasil criou o seu próprio cenário independente. Sem internet, mas com muita fita demo, fanzines, cartazes colados nos postes e shows nos menores palcos e inferninhos que se possa imaginar. Aos poucos, a imprensa voltou os olhos para essa cena, a recém-nascida MTV Brasil deu a sua benção e as gravadoras apostaram no lançamento de discos dessas bandas.

“Time Will Burn – o rock underground brasileiro do começo dos anos 90” conta a história dessa cena jamais contada num longa-metragem, recuperando registros analógicos em VHS, cartazes da época e conversando com grandes personagens que estão por aí até hoje.

Com direção de Marko Panayotis (ex-diretor dos programas Jornal da MTV e Yo! MTV) e de Otavio Sousa (diretor dos documentários “Supercarioca – 25 anos”, sobre a banda Picassos Falsos, e “Agridoce – 20 Passos”, da cantora Pitty), o filme traz depoimentos das principais bandas que fizeram parte dessa história e de nomes como Fábio Massari e Gastão Moreira (MTV), Edu-K (De Falla), Cherry (Okotô), Japinha (CPM 22), Rafael Crespo (Planet Hemp), Rodrigo Lariu (Midsummer Madness), Roberto Cotrim (Espaço Retrô) e traz imagens raras de shows no Espaço Retrô, Aeroanta, Circo Voador e no festival Juntatribo, entre outros.

“Time Will Burn” estreou em setembro de 2016 no In-Edit Brasil, maior festival de documentários musicais do pais, com sessões na Cinemateca Brasileira e no Cine Olido, em São Paulo. O longa também teve uma exibição especial no histórico Cine Odeon, no Rio de Janeiro, como parte da programação do Festival Mimo de Cinema e também passou pelos festivais Coquetel Molotov (Recife e Belo Jardim/PE), Se Rasgum (Belém/PA) e por cineclubes em Campinas e Curitiba. O filme seguirá sendo exibido nos próximos meses exclusivamente em festivais de cinema, em cineclubes e em sessões especiais.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

A VINGANÇA DOS FILMES B - PARTE VI

foto:Priscila Poletti


Neste ano conturbado em que a sociedade e a cultura brasileira sofrem um revés surreal, efeito colateral de um golpe político recheado de subtramas tão absurdas que nem a ficção parece dar conta, A Vingança dos Filmes B chega a sua sexta edição. Se o número seis comporta em si uma vasta gama de leituras e simbologias, para nós esta sexta edição, num período tão controverso, é um evento comemorativo de resistência em prol da cultura e de um cinema de gênero possível, apesar de todas as adversidades. 

Adaptar-se é uma regra básica contra a extinção, e nesta sexta parte seguimos nos ajustando e ampliando nosso conceito de servir de vitrine tanto para produções independentes e de baixo orçamento, como para clássicos do cinema de gênero. Porém, cedendo ainda mais terreno para experimentos que flertem, de alguma forma, com este tipo de produção, e nesse ano ampliando a discussão sobre o papel da mulher neste tipo de cinema. Nesta edição, além de clássicos do cinema B como, Criaturas, de Stephen Herek, e dois exemplares da série Phantasm, de Don Coscarelli, clássicos modernos do horror, como Audição, de Takashi Miike e filmes de culto como Hausu de Nobuhiko Ôbayashi, e Viver e Morrer em Los Angeles, de Willian Friedkin, teremos também a pré-estreia de Mar Inquieto, de Fernando Mantelli, e Alvorada Z, um filme de zumbis produzido de forma independente por jovens estudantes de Alvorada. Algumas sessões de longas serão acompanhadas de debates com cineastas como Davi Pretto, Milton do Prado, Giordano Gio, e especialistas em cinema de gênero como o escritor Cesar Almeida. 

Os curtas-metragens continuam sendo a alma da mostra com sessões diversas como a de abertura, intitulada Short Cuts, que trará um diversificado panorama de curtas-metragens brasileiros, com nomes consagrados do horror nacional, como Paulo Biscaia, com sua trama de humor negro Till Death, e novos talentos como Gabriel Carneiro, e sua emocionante homenagem ao cinema da Boca do Lixo com Aquela Rua Tão Triumpho, Daniel Augusto e seu tétrico O Sinaleiro, Mozart Freire com a provocativa sci-fi Janaina Overdrive, os animadores Francisco Gusso e Pedro Giongo com os instigantes Tango, e Parque Pesadelo, além da animação Panda, de Matús Vizar, vinda da Eslováquia. E ainda sessões como Riot Girls, dedicada exclusivamente a produções de realizadoras, como Taísa Ennes Marques, Daniela Távora, Lívia Pasqual, Karen Eggers, Raysa Fisch, Luciana Thomas e Cris Reque; Shoot or Die que abrange toda uma nova geração de diretores dedicados ao horror brasileiro, como Fernando Rick, e seu perturbador Embaraço, Marcos DeBrito, com seu prato mal passado, Mesa Para Dois, a dupla Rodrigo Gasparini & Dante Vescio voltando seu olhar para uma conhecida lenda urbana em Blondie, Mateus Frazão extraindo morbidez das flores em Jazigo, e o enfant terrible Lucas Sá, com suas provocações estéticas e formais ao gênero com Balada para os Mortos. Na sequência Ulisses da Motta nos trás uma visão distópica de uma realidade não muito distante em Venatio, assim como o horror, a loucura, e a morte, fazem parte do repertório de O Diabo no Armário, de Fernando Menegatti, Rancor, de Lucas Reis e A Incrível História do Gorila, de Diego Camelo, e O Presente de Camila, de Ivo Costa. E para o encerramento da mostra no dia 04 de dezembro, reservamos o slasher oitentista O Massacre (The Slumber Party Massacre), de Amy Holden Jones, numa sessão comentada pela Academia das Musas, grupo que pesquisa obras realizadas por mulheres ao longo da história do cinema

A Vingança dos Filmes B segue sua luta na Sala P.F. Gastal da Usina do Gasômetro, e exibirá de 25 de novembro a 04 de dezembro em torno de 55 produções entre curtas e longas, todas as sessões tem entrada franca. Vejam abaixo a programação completa, e que tenhamos uma boa vingança!
   
(Cristian Verardi)

APOIO: MPLC, Dirty Old Man, The Raven, Bardos, Mondo Cane     

  Agradecimentos especiais: Bruno Carboni, Petter Baiestorf, Fernando Brito, Priscila Poletti, Diego Bertoldi, Paula Trusz, Jéssica Luz, Germano de Oliveira, Eva Pavlovicová 

GRADE DE HORÁRIOS

25 de Novembro a 04 de Dezembro de 2016

25 de Novembro (sexta)
19h- Abertura de A Vingança dos Filmes B- Parte VI. Confraternização no saguão da Sala P.F.Gastal

20h – SESSÃO SHORT CUTS: Aquela Rua Tão Triumpho (15’) + O Sinaleiro (15’) + Till Death (16’) + Panda (11’) + Janaina Overdrive (20’) + Tango (14’). Total: 91 minutos. Após a sessão debate com o realizador Francisco Gusso.

 26 de Novembro (sábado)
15h – CONEXÃO BRASÍLIA- CURTAS DE RAFAEL LOBO: Confinado (21’) + Palhaços Tristes (23’) + Bartleby (25’). Total: 69 minutos

17h – SESSÃO MALDITA MATINÉE 1- Criaturas (Critters / EUA / 1986 / 82’), de Stephen Herek.
Sessão comemorativa de 30 anos, comentada pelo cineasta Giordano Gio.

20h – SESSÃO SHOOT OR DIE 1: Blondie (3’) + Escotofobia (7'21”) + Jazigo (18’) + Parque Pesadelo (16’) + Mesa Pra Dois (4’) + Embaraço (20’) + Balada Para os Mortos (23’). Total: 91 minutos. Após a sessão debate com os realizadores.

27 de Novembro (domingo)
15h – SESSÃO DURO NA QUEDA- Quatro Milagres de Um Santo Ladrão (RS / 2016 / 100’), de Allan Mendonça e Felipe Iesbick.

17h – SESSÃO MALDITA MATINÉE 2- Noite Macabra (Phantasm / 1979 / EUA / 88’), de Don Coscarelli.

19h – SESSÃO ADDIO TONINO! Meu Nome é Ninguém (Il mio nome è Nessuno / ITA / 1973 / 116’), de Tonino Valerii. Sessão comentada com escritor César Almeida.
  
29 de Novembro (terça)
18h- Reprise – SESSÃO SHORT CUTS: Aquela Rua Tão Triumpho (15’) + O Sinaleiro (15’) + Till Death (16’) + Panda (11’) + Janaina Overdrive (20’) + Tango (14’). Total: 91 minutos.
20h – SESSÃO DEMENTIA 1 (PRÉ-ESTRÉIA)- Mar Inquieto (BR/ 2016 / 98’), de Fernando Mantelli

30 de Novembro (quarta)
16h- SESSÃO MALDITA MATINÉE 3- A Noiva de Frankenstein (Bride of Frankenstein / EUA / 1935 / 75’), de James Whale.

18h – ESPECIAL GENE WILDER- O Jovem Frankenstein (Young Frankenstein / EUA /1974 / 96’), de Mel Brooks

 20h– SESSÃO DEMENTIA 2- Mens Sana In Corpore Sano (PE / 2011 / 22’), de Juliano Dornelles + Hausu  (JAP / 1977/ 88’), de Nobuhiko Ôbayashi

 1° de Dezembro (quinta)
18h – SESSÃO MALDITA MATINÉE 4: Quando Chega a Escuridão (Near Dark / EUA / 1987 / 94’), de Kathryn Bigelow
 
20h– SESSÃO CRAZY WILLY- Viver e Morrer em Los Angeles (To Live and Die in L.A. / 1985 / 116’), de Willian Friedkin. Sessão comentada pelo professor e montador Milton do Prado, coordenador do Curso de Realização Audiovisual da Unisinos.

 02 de Dezembro (sexta)
15h- – SESSÃO VINGANÇA PARA CRIANÇAS MALCRIADAS- O Filho de Rambow (Son of Rambow /UK / 2007 / 96’), de Garth Jennings.

18h – SESSÃO VHS REVENGE- Dark Star (EUA / 1974/ 83’), de John Carpenter. Sessão experimental saudosista em VHS

20h- SESSÃO DEMENTIA 3- Audição (Ôdishon /JPN / 1999/ 115’), de Takashi Miike. Sessão comentada com o cineasta Davi Pretto, um dos responsáveis pela mostra “20 Anos de Takashi Miike”, realizada pela sua produtora Tokyo Filmes.

  03 de Dezembro (sábado)
15h – SESSÃO SHOOT OR DIE 2: Venatio (4’) + O Diabo no Armário (4’) + Rancor (18’) + A Incrível História do Gorila (15’) + O Presente de Camila (13’) + A Noiva do Coelhinho (12) + A Noite Mais Longa da Minha Vida (18’) .Total: 84 minutos. Após a sessão debate com os realizadores.

17h30 – SESSÃO ALVORADA VORAZ – Alvorada Z
Filme de zumbis realizado por jovens estudantes de Alvorada, através do projeto Clube das 5.

20h – SESSÃO RIOT GIRLS: Blasfêmia - Substantivo Feminino (2’) +
A Saga do Herói (7’) + Quem vai ser o rato do século XXI (2’30”) + Nemêsis (14’) + Deus Néon (14’) +  O Urso Dançante e os Cogumelos Luminosos (15’) + Medo do Escuro (9’) + Mãe Monstro (16’). Total: 79 minutos. Após a sessão debate com as realizadoras, mediação de Juliana Costa

04 de Dezembro (domingo)
15h – SESSÃO PROFONDO GIALLO- Os Passos (Le Orme / ITA / 1975 / 96’), de Luigi Bazzoni

17h – SESSÃO MALDITA MATINÉE 5: Phantasm II (1988 / EUA / 94’), de Don Coscarelli.

20h – ESPECIAL ACADEMIA DAS MUSAS – O Massacre (The Slumber Party Massacre / 1982 / 77’), de Amy Holden Jones. Sessão comentada por membros da Academia das Musas, grupo que pesquisa obras realizadas por mulheres ao longo da história do cinema.



PROGRAMAÇÃO DE CURTAS


SESSÃO SHORT CUTS 

Aquela Rua Tão Triumpho (2016/ SP/ 15’), de Gabriel Carneiro.
Os fantasmas da Rua do Triumpho. Ido Oliveira, antigo cineasta da Boca do Lixo, ainda vive por lá.

Com: Walter Portella, Júlio Calasso, Alfredo Sternheim, Clery Cunha, Nicole Puzzi, Virgílio Roveda, Vanessa Alves.

O Sinaleiro (2015 / SP / 15’), de Daniel Augusto
Um velho sinaleiro ferroviário é assombrado por uma série de acontecimentos estranhos. Baseado na obra de Charles Dickens.

Com: Fernando Teixeira
   

Till Death (2016 / PR/ 16’), de Paulo Biscaia
Enganar a morte tem o seu preço.

Com: Brian Townes, Guenia Lemos
 

Panda (Pandi/2013/ SKV/11’), de Matús Vizar
Nesta animação vinda da Eslováquia, do jogo da evolução sobre descendentes passiveis de sobrevivência, surgem espécies cujo destino, herdado de seus antepassados, é questionável


Janaina Overdrive (2016/ CE/ 20’), de Mozart Freire
​Uma transciborgue busca sua sobrevivência longe do controle biotecnopolítico da corporação
Com: Layla Kayã Sah, Euzébio Zloccowick, Jéssica Teixeira




Tango (2016/ PR /14’), de Francisco Gusso e Pedro Giongo

Após anos de seca, uma batata mística brota nas distantes nascentes do Rio Aiatak. Em breve, tudo estará preparado para o grande ritual de Tango. Para o povo, este é o início de uma nova era. Animação inspirada no conto “Um Artista da Fome”, de Franz Kafka.



SESSÃO CONEXÃO BRASÍLIA- CURTAS DE RAFAEL LOBO
Confinado (DF /2010/ 21’)
Sabe toda aquela baboseira de ter um filho, plantar uma árvore e escrever um livro? Pedro só se interessa pela droga do livro.

Com: João Campos, Luísa Duprat, Iuri Saraiva, Fátima Teixeira e Gê Martu.  


Palhaços Tristes (DF/ 2013/ 23’) 
Fora-se o dia e o ar sombrio se apodera da noite de sexta-feira. As almas perdidas no escuro pântano da cidade navegam rumo ao desconhecido. Será que Felizardo terá coragem de concluir a sua jornada?
Adaptação de uma HQ de Gabriel Mesquita.
Com: Kael Studart, Julieta Zarza, Luisa Bianchetti, Marco Michelangelo 


Bartleby (DF / 25’).
Livre adaptação da obra “Bartleby, o escrevente” de Herman Melville Chefe de uma repartição publica em Brasília recebe novo funcionário chamado Bartleby que parece ser a solução de seus problemas.

Com: Tullio Guimarães, Iuri Saraiva, Antônio Cunha


SESSÃO SHOOT OR DIE 1
Blondie (SP/ 2016/ 3’), de Rodrigo Gasparini & Dante Vescio
Dois garotos em detenção na escola discutem o jeito certo de invocar A Loira do Banheiro, uma antiga lenda urbana.

Com: Menahen Shimon Aboab e Gabriel Ferrarini 


Escotofobia (RS /2016/ 7'21”), de Rafael Saparelli
Uma Mulher, ao retornar do seu trabalho, entra por uma passagem subterrânea para chegar à sua casa, mas o medo pode impedi-la de fazer este trajeto.

Com: Miriã Possani


Jazigo (RS / 2016/ 18’), de Mateus Frazão
Um homem solitário, cuja única motivação é zelar por um jardim de rosas, no entanto, ao notar que as próprias flores parecem se voltar contra ele, o desamparo e a angústia tomam controle de sua vida.

Com: Rodrigo Visentin e Maria do Horto Vasconcellos


Parque Pesadelo (PR/ 2016/ 16’), de Aly Muritiba, Francisco Gusso e Pedro Giongo
O Menino carrega nas costas as flores e o fardo de uma maldição


Mesa Pra Dois (SP/ 2016/ 4’), de Marcos DeBrito
Uma deliciosa refeição à 240 quadros por segundo.

Com: Patty Fang, Danilo Ferraz




Embaraço (SP/ 2016/ 20’), de Fernando Rick
Ao descobrir-se em uma gravidez indesejada, Angélica vive um pesadelo de sete meses. Ao invés de matar o feto, ela mesma começa a definhar ao tentar métodos abortivos diversos.
Com: Amanda Pereira, Eduardo Pelizzari, Jac Cordeiro, Habib

Balada Para os Mortos (RS/ 2016/ 23’), de Lucas Sá
A cidade onde eu vivo é a cidade onde eu morro

Com: Nathália Gotardo, Guilherme Dacosta e Lucas Sá


SESSÃO SHOOT OR DIE 2
Venatio (RS / 2016/ 4’), de Ulisses da Motta
Não existe dia da caça.
Curta que faz parte da antologia "Contos da Morte", "Venatio" é uma perseguição nervosa pelas calçadas de uma cidade.

Com: Carla Elgert, Johnny Black, Bruno Krieger


O Diabo no Armário (RS / 2016/ 4’), de Fernando Menegatti
Gabriel deseja conseguir sair de seu apartamento, mas é impedido por uma força maior, um inquilino indesejado que mora bem dentro de seu armário, o diabo.

Com: Édipo de Almeida



Rancor (RS/ 2016/ 18’), de Lucas Reis
Um homem faz uma proposta para um velho ator agir como o seu já falecido pai.

Com: Fernando Kike Barbosa, Luís Franke

A Incrível História do Gorila (CE/ 2016/ 15’), de Diego Camelo
João vê Gorilas. De onde vem os Gorilas que João vê?

Com: João Fontenele, Getúlio Cavalcante, Cícero Teixeira Lopes


O Presente de Camila (MG/ 2016/ 13’), de Ivo Costa
A jovem viúva Eliza, tenta com dificuldades criar sua filha Camila. Nesse cenário conturbado, sua sogra surge como uma ameaça quanto a guarda da filha. A tensão entre as relações se agrava com o último presente recebido por Camila de sua avó, levando Eliza ao limite da sanidade. Curta presente na antologia "Contos da Morte".

Com: Kicila Sá, Ana Clara, Lili Diniz

A Noiva do Coelhinho (GO/ 2016/ 12), de Rafael Franco

Um Coelhinho surge na horta de uma jovem menininha, repleto de segundas intenções. Adaptação lisérgica do conto homônimo dos Irmãos Grimm.


A Noite Mais Longa da Minha Vida (BA/ 2016/ 18’), de Calebe Lopes
A solidão traz fantasmas do passado. Fernando precisa combater o Medo.

Com: Alan Roger


SESSÃO RIOT GIRLS
Blasfêmia - Substantivo Feminino (RS /2016/ 2’), de Daniela Távora
“No princípio fui criada apenas por Mãe, ela nunca me falou nada sobre Deus...” Gênesis recontada a partir das experiencias de uma garota criada apenas por mãe.

Com: Daniela Távora, Nanci Távora


A Saga do Herói (RS/ 2015 / 7’), de Lívia Pasqual
O filme é uma sequência, como se extraído de um longa-metragem, que se passa em uma cidade fictícia de um Brasil futuro, pós-catástrofe. O Brasil construído no filme é feito com maquetes de empreendimentos imobiliários contemporâneos, implantados em uma paisagem árida, empoeirada, como se fosse a manhã seguinte de um fenômeno natural de grandes proporções. A narrativa se concentra na luta entre dois personagens que, ante essa cidade diminuta, são gigantes.

Com:Juliano Barros, Rodrigo Fiatt


Quem vai ser o rato do século XXI? (2’30”), de Daniela Távora
Um cavalo-branco, sem encilhas e sem rédeas, pasta no canteiro central de uma estrada próxima a sua casa. Quem montar no animal, será levado para um jardim paradisíaco. Ao descer, os pés serão atravessados por espinhos escondidos na beleza da grama verde.

Com: Daniela Távora




Nemêsis (RS/ 2016/14’), de Karen Eggers
Luísa, uma jovem jornalista, é obcecada pela ideia de que Mauro é o culpado pela morte de seu pai. Dois anos depois, Mauro se envolve em outro crime.

Com: Catharina Conte, Luis Franke, Renata Stein e Marcello Crawshaw

O Deus Néon (RS / 2015 /14’), de Taísa Ennes Marques e Rafael Duarte
As vozes da internet criam um deus à sua imagem e semelhança

Com: Henrique Larre, Samuel Reginatto


O Urso Dançante e os Cogumelos Luminosos (RS / 2016 /15’), de Raysa Fisch
Maconha. Cogumelos alucinógenos. Um urso que dança. A falta de sentido.

Com: Eduardo Cardoso, Rodrigo Waschburger.

Medo do Escuro (RS/ 2016/ 9’), de Luciana Thomas
A fascinação de Iris por Alexandra está causando um conflito pessoal que a adolescente nunca havia experimentado antes.
Com: Ana Lua, Júlia Haralambie, Simone Telecchi, Eduardo Fronckowiak, Gabriel Borsatto e Caio Lopes

Mãe Monstro (RS / 2003/ 16’), de Cris Reque.

Num programa de TV, Mônica reencontra Lia, uma amiga de adolescência, e passa a reconstituir a trajetória de suas vidas, transformada pelo acontecimento traumático que as separou. Inspirado no conto A Mãe dos Monstros, de Guy de Maupassant. 
Com: Aline Guterrez, Miriã Possani, Roseane Milani, Sandra Possani



PROGRAMAÇÃO DE LONGAS

SESSÃO DURO NA QUEDA
Quatro Milagres de Um Santo Ladrão (RS /2016/ 100’), de Allan Mendonça e Felipe Iesbick.
O lutador de wrestling Frederico Capone (João França), desafia o temível Barrabás para uma luta de verdade, colocando em risco sua vida e a de sua noiva Betânia. Mas algo acontece e Capone é preso. Na cadeia, ele realiza seu primeiro milagre conquistando fama e a simpatia entre os detentos, mas o desafeto de Cachorro Louco, o líder da prisão.
Com: João França, Rogério Beretta, Fernanda Carvalho Leite, Oscar Simch, Apollonio Cipriano e Luis Franke.



SESSÃO MALDITA MATINÉE
Criaturas (Critters / EUA / 1986 / 82’), de Stephen Herek.
Uma raça de pequenas, felpudas e mortais criaturas alienígenas pousa sua nave numa cidadezinha americana. A fome insaciável destes seres de outro mundo, que devoram tudo o que encontram, vai espalhar o caos pela cidade. A situação fica ainda mais complicada com a chegada de uma dupla de caçadores intergaláctico. Sessão comemorativa de 30 anos deste clássico filme B de sci-fi da década de 80, comentada pelo cineasta Giordano Gio.

Com: Dee Wallace, M. Emmet Walsh, Billy Green Bush


Noite Macabra (Phantasm / 1979 / EUA / 88’), de Don Coscarelli.
Um adolescente descobre que o dono da funerária local esconde um terrível segredo, e tem planos sombrios para os cadáveres que deveria enterrar. Filme que originou a série Phantasm, e lançou o vilão The Tall Man, que se tornou uma figura icônica do cinema de horror, junto com suas mortíferas esferas voadoras. Neste ano a saga foi concluída com o lançamento de Phantasm: Ravager.

Com: Angus Scrimm, Reggie Bannister, A. Michael Baldwin

Phantasm II (1988 / EUA / 94’), de Don Coscarelli.
Mike (James Le Gross) e Reggie (Reggie Bannister) seguem sua luta para destruir o maléfico agente funerário conhecido como The Tall Man (Angus Scrimm), que continua disseminando a morte e o pavor, sugando a vida das cidades por onde passa.

Com: Angus Scrimm, Reggie Bannister, James Le Gross




Quando Chega a Escuridão (Near Dark / EUA / 1987 / 94’), de Kathryn Bigelow
Após ser mordido por uma garota, o filho de um fazendeiro entra para um grupo de vampiros que viaja pelos EUA atrás de sangue fresco. Com ótima direção de Kathryn Bigelow (“Guerra ao Terror”), esse faroeste vampiresco é uma obra-prima do gênero.

Com: Jenny Wright, Lance Henriksen e Bill Paxton.


A Noiva de Frankenstein (Bride of Frankenstein / EUA / 1935 / 75’), de James Whale.
Está clássica seqüência de Frankenstein (1931), tornou-se um dos mais famosos filmes do Ciclo de Monstros do estúdio Universal. Considerado superior ao original, gerou uma personagem feminina icônica para o cinema de horror, a famigerada noiva do monstro de Frankenstein, interpretada por Elsa Lanchester.

Com: Boris Karloff, Mae Clarke, Colin Clive, Elsa Lanchester
 

ESPECIAL GENE WILDER
O Jovem Frankenstein (Young Frankenstein / EUA /1974 / 96’), de Mel Brooks
O jovem Dr. Frankestein (Gene Wilder) viaja para a Transilvânia ao herdar o castelo de um antepassado, considerado um cientista louco. Logo descobre um diário descrevendo passo a passo como trazer um cadáver de volta à vida. Auxiliado pelo corcunda Igor (Marty Feldman) e pela curvilínea Inga (Teri Garr), ele cria um novo ser (Peter Boyle), mas a experiência não sai como planejada. Sessão especial em homenagem ao comediante norte americano Gene Wilder, falecido em agosto deste ano. O Jovem Frankenstein foi um dos maiores sucessos de sua parceria com o gênio da comédia Mel Brooks.

Com: Gene Wilder, Peter Boyle, Marty Feldman, Teri Garr, Madeline Kahn


SESSÃO ADDIO TONINO!
Meu Nome é Ninguém (Il mio nome è Nessuno / ITA / 1973 / 116’), de Tonino Valerii.
Um andarilho misterioso conhecido como "Ninguém" (Terence Hill), é admirador de Jack Beauregard (Henry Fonda), um velho pistoleiro que planeja abandonar o seu modo de vida. “Ninguém” decide que seu herói não pode aposentar suas armas sem uma grande despedida, e lhe prepara uma emboscada com os piores bandidos do Oeste, apenas para vê-lo em ação pela última vez. Meu Nome é Ninguém foi idealizado e produzido por Sergio Leone, um dos grandes nomes do cinema italiano, que presenteou o amigo Tonino Valerii lhe oferecendo a direção deste que é um dos últimos grandes momentos do spaghetti western. Tonino Valerii, falecido em outubro aos 82 anos, deixou sua marca no cinema italiano com filmes como Dias de Ira e O Preço do Poder.
Com: Terence Hill, Henry Fonda, Benito Stefanelli, Geoffrey Lewis
Sessão comentada com o escritor César Almeida, autor do livro “Cemitério Perdido dos Filmes B”..
 

SESSÃO DEMENTIA
Mar Inquieto (BR/ 2016 / 98’), de Fernando Mantelli
Após uma juventude conturbada pela dependência de drogas, Anita encontra-se em uma existência sem propósito, enclausurada por seus próprios medos. Vivendo em uma pequena praia, o terror psicológico de sua vida parece ter sobrepujado seu período de viciada, invadindo sua vida sóbria. Em um ambiente impregnado por lendas de óvnis, demônios e vozes que vem do mar, a maior ameaça para Anita parece estar em sua própria casa, na forma de Vitorino, seu marido.

Com: Rita Guedes, Miguel Lunardi, Áurea Baptista, Marcos Contreras, Daniel Bastreghi, Eri Johnson


Mens Sana In Corpore Sano (PE / 2011 / 22’), de Juliano Dornelles
Garra, disciplina, tenacidade, força física e obediência; Estes são os tesouros guardados para que tenhamos uma vida mais plena e saudável. O seu corpo agradece!

Com: Flávio Danilo


Hausu  (JAP / 1977/ 88’), de Nobuhiko Ôbayashi
Garota briga com o pai e decide passar umas férias na casa de sua tia com suas amigas, porém a casa é mal assombrada pelo fantasma da tia. Delirante, absurdo e psicodélico, esse cult­movie é um terror que desafia qualquer descrição.
Com: Kimiko Ikegami, Miki Jinbo, Kumiko Ohba.


Audição (Ôdishon /JPN / 1999 / 115’), de Takashi Miike
Após a morte da esposa, um executivo é convidado pelo amigo cineasta a participar da escolha de uma atriz. O viúvo se interessa por uma bela e misteriosa candidata. Obra­prima de Takashi Miike, e um dos filmes mais chocantes das últimas décadas.
Com: Ryo Ishibashi, Eihi Shiina, Tetsu Sawaki.

Sessão comentada com o cineasta Davi Pretto, um dos responsáveis pela mostra “20 Anos de Takashi Miike”, realizada pela sua produtora Tokyo Filmes.



SESSÃO ALVORADA VORAZ                    
Alvorada Z (RS / 2016/ 80’), de Júlia Lima e Eliel Franco
Durante uma epidemia zumbi no município de Alvorada, um grupo de adolescentes se refugia em uma escola. Lá dentro, eles precisarão resolver seus conflitos enquanto buscam uma forma de escapar e sobreviver.
Com: Áron Peixoto Denys Macedo Ester R. Alves Vitória Laimer Zyon Fagundes

Filme de zumbis realizado de forma independente por jovens de Alvorada, através do projeto Clube das 5.



SESSÃO CRAZY WILLY
Viver e Morrer em Los Angeles (To Live and Die in L.A. / 1985 / 116’), de Willian Friedkin
Richard Chance (William Petersen), um agente do serviço secreto, quer vingança pela morte de seu parceiro. Para encontrar o assassino, um falsificador, ele usa artifícios ilegais, usando chantagem, desobedecendo seus superiores, e agindo perigosamente. Ele quer vingança, custe o que custar. Porém, essa obsessão pode custar sua própria vida.
Com: William L. Petersen, Willem Dafoe, John Pankow

Sessão comentada pelo professor e montador Milton do Prado, coordenador do Curso de Realização Audiovisual da Unisinos.
 

SESSÃO PROFONDO GIALLO
Os Passos (Le Orme / ITA / 1975 / 96’), de Luigi Bazzoni
Atormentada por estranhos sonhos de astronautas na lua, uma mulher visita uma cidade litorânea cujos moradores afirmam já conhecê-la. Essa fascinante mistura de giallo e sci-fi traz uma ótima interpretação da brasileira Florinda Bolkan.

Com: Florinda Bolkan, Peter McEnery, Klaus Kinski.




SESSÃO VINGANÇA PARA CRIANÇAS MALCRIADAS
O Filho de Rambow (Son of Rambow /UK / 2007 / 96’), de Garth Jennings.
Durante um verão do início dos anos 80, em uma cidade do interior da Inglaterra, dois garotos totalmente diferentes se juntam para produzir um filme caseiro inspirado no personagem Rambo.

Com: Bill Milner, Will Poulter, Jules Sitruk


SESSÃO VHS REVENGE
Dark Star (EUA / 1974/ 83’), de John Carpenter. Sessão experimental saudosista em VHS.
A tripulação da espaçonave Dark Star está numa missão há 20 anos e tem um único objetivo: Destruir planetas instáveis que estão no caminho das rotas comerciais de navegação. Só que depois de tanto tempo, as coisas começam a dar bizarramente erradas. A começar por um alienígena que mais parece uma bola de pelos, loucos sistemas de informação e uma bomba que se recusa a cumprir sua missão. Longa de estréia do cultuado diretor John Carpenter.

Com: Brian Narelle, Cal Kuniholm, Dre Pahich




SESSÃO DE ENCERRAMENTO- ESPECIAL ACADEMIA DAS MUSAS
O Massacre (The Slumber Party Massacre / 1982 / 77’), de Amy Holden Jones.
Jovens colegas de escola aproveitam a viagem do pai de uma delas para organizar uma festa do pijama. Mas elas não contavam com um convidado inesperado, um psicopata munido com uma enorme furadeira. 
Com: Michelle Michaels, Robin Stille, Michael Villella

Sessão comentada pela Academia das Musas, grupo que pesquisa obras realizadas por mulheres ao longo da história do cinema.